DECLARAÇÃO DE JERUSALÉM

Comunhão de Confiança dos Anglicanos


No dia 29 de junho de 2008, a Conferência Global do Futuro Anglicano, GAFCON, divulgou a  Declaração de Jerusalém  e anunciou o estabelecimento de "uma confraternização de anglicanos confessionais para o benefício da Igreja e a promoção de sua missão". 

Com a formação da FCA, Fellowship of Confessing Anglicans, esse sonho se tornou uma realidade. Nas palavras da DECLARAÇÃO DE JERUSALÉM somos uma comunhão de pessoas unidas na comunhão do único Espírito e comprometidas a trabalhar e a orar juntas na missão comum de Cristo. É uma confissão de confraternização na qual seus membros confessam a fé de Cristo crucificado, permanecem firmes para o evangelho no contexto global e anglicano e afirmam uma regra contemporânea, a Declaração de Jerusalém, para guiar o movimento pelo futuro. Somos uma irmandade de anglicanos, incluindo províncias, dioceses, igrejas, jurisdições missionárias, organizações para-eclesiásticas e cristãos anglicanos individuais cujo objetivo é ajudar a reformar, curar e revitalizar a Comunhão Anglicana e expandir sua missão para o mundo. A Declaração de Jerusalém é a base da nossa comunhão. Convidamos todos os que concordarem com essa declaração e apoiarem as metas da FCA. Para se juntar a nós enquanto esperamos o que Deus fará no Global Anglican Future '. 



A DECLARAÇÃO DE JERUSALÉM

“Em nome de Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo”: 


Nós, os participantes da Conferência Global do Futuro Anglicano, nos encontramos na terra do nascimento de Jesus. Expressamos nossa lealdade como discípulos ao Rei dos reis, o Senhor Jesus. Nós alegremente abraçamos o seu comando para proclamar a realidade do seu reino que ele anunciou pela primeira vez nesta terra. O evangelho do reino é a boa notícia da salvação, libertação e transformação para todos. À luz do exposto, concordamos em traçar um caminho em conjunto que promova e proteja o evangelho bíblico e a missão para o mundo, declarando solenemente os seguintes princípios da ortodoxia que sustentam nossa identidade anglicana.


 

  1. Nos regozijamos no evangelho de Deus através do qual fomos salvos pela graça através da fé em Jesus Cristo pelo poder do Espírito Santo. Porque Deus nos amou primeiro, nós o amamos e como crentes produzem frutos de amor, arrependimento contínuo, esperança viva e ação de graças a Deus em todas as coisas.

   

  • Cremos que as Sagradas Escrituras do Antigo e Novo Testamentos são a Palavra de Deus escrita e contém todas as coisas necessárias para a salvação. A Bíblia deve ser traduzida, lida, pregada, ensinada e obedecida em seu sentido claro e canônico, respeitando a leitura histórica e consensual da igreja.

   

  • Defendemos os quatro Concílios Ecumênicos e os três credos históricos como expressando a regra de fé da única Santa Igreja Católica e Apostólica.

   

  • Defendemos os Trinta e Nove Artigos como contendo a verdadeira doutrina da Igreja concordando com a Palavra de Deus e como autoritativa para os anglicanos hoje.

   

  • Nós proclamamos e nos submetemos com alegria ao único e universal Senhorio de Jesus Cristo, o Filho de Deus, o único Salvador da humanidade do pecado, julgamento e inferno, que viveu a vida que não poderíamos viver e morreu a morte que nós merecemos. Por sua morte expiatória e ressurreição gloriosa, ele garantiu a redenção de todos os que o procuram em arrependimento e fé.

   

  • Regozijamo-nos em nossa herança anglicana sacramental e litúrgica como uma expressão do evangelho, e defendemos o Livro de Oração Comum de 1662 como um padrão verdadeiro e autoritário de adoração e oração, a ser traduzido e adaptado localmente para cada cultura.

   

  • Reconhecemos que Deus chamou e presenteou bispos, sacerdotes e diáconos em sucessão histórica para equipar todo o povo de Deus para o seu ministério no mundo. Defendemos o Ordinal anglicano clássico como um padrão autoritativo de ordens clericais.

   

  • Reconhecemos a criação de Deus da humanidade como homem e mulher e o padrão imutável do casamento cristão entre um homem e uma mulher como o lugar apropriado para a intimidade sexual e a base da família. Nós nos arrependemos de nossos fracassos em manter esse padrão e clamamos por um compromisso renovado com a fidelidade ao casamento e abstinência para aqueles que não são casados.

   

  • Aceitamos de bom grado a Grande Comissão do Senhor ressuscitado para fazer discípulos de todas as nações, para buscar aqueles que não conhecem a Cristo e batizar, ensinar e trazer novos crentes à maturidade.

   

  • Estamos conscientes de nossa responsabilidade de sermos bons mordomos da criação de Deus, de defender e defender a justiça na sociedade e de procurar alívio e capacitação dos pobres e necessitados.

   

  • Estamos comprometidos com a unidade de todos aqueles que conhecem e amam a Cristo e para construir relações ecumênicas autênticas. Reconhecemos as ordens e a jurisdição dos anglicanos que defendem a fé e a prática ortodoxas, e os incentivamos a se unirem a nós nesta declaração.

   

  • Celebramos a diversidade dada por Deus entre nós, que enriquece nossa comunhão global, e reconhecemos a liberdade em assuntos secundários. Nós nos comprometemos a trabalhar juntos para buscar a mente de Cristo em questões que nos dividem.

   

  • Rejeitamos a autoridade das igrejas e líderes que negaram a fé ortodoxa em palavras ou ações. Nós oramos por eles e pedimos a eles que se arrependam e retornem ao Senhor.

   

  • Nós nos alegramos com a perspectiva de Jesus voltar em glória, e enquanto aguardamos este evento final da história, nós o louvamos pela maneira como ele constrói sua igreja através de seu Espírito, miraculosamente mudando vidas.

 

FONTE: https://www.gafcon.org/news/jerusalem-declaration-signals-new-reality-for-anglican-communion

FALE CONOSCO        (27) 9.9905-7643

  • Wix Facebook page

+ DOM JOSE FERNANDO DE FARIA

Arcebispo Metropolitano

Primaz de toda América do Sul

da Igreja Anglo Católica

www.anglocatholicchurch.eu

anglicanacatolica@gmail.com

PE. RAFAEL MORAES

PROMOTOR

VOCACIONAL

(22) 99855-8287